10 de julho de 2010

Sem frescuras

by Ana Paula de Almeida às 22:57

Eu sento no chão. Sei trocar lâmpada. Mato insetos. Abro potes de palmito. Brinco de lutinha. Falo palavrão. Pago as minhas contas e não falo miando. Entendo de futebol e gosto bastante de um rock de verdade, mas sei o valor de uma boa balada romântica. Não tenho vergonha de falar sobre coisas de homens com homens. Saio de casa de manhã sem maquiagem e sem pentear o cabelo pra ir à padaria.
Não sou mulherzinha, mas choro em filmes de amor e estou sempre bonita e cheirosa. Não sou mulherzinha, mas não lavo a louça no dia em que fiz a unha. Não sou mulherzinha, mas tenho os meus dias de carência e tpm. Não sou mulherzinha e como batata-frita com Coca-cola, mas procuro manter a saúde em dia, e vivo descobrindo creminhos milagrosos.
Não sou fresca, mas gosto de ser cuidada. Curto um mimo, carinho, dengo e proteção. Adoro flores, gosto de romance de portão e gestos e demonstrações de cavalherismo.
A diferença é que eu não sugo: recebo e retribuo como qualquer mortal não-fresco.


Obs.: Texto parafraseado da comunidade no orkut Sem Frescuras

3 comentários:

M. Laranjeira Fotografia on 10 de julho de 2010 23:13 disse...

Sem muita frescura, eu gostei!

Kelem on 11 de julho de 2010 08:07 disse...

O texto eh otimo!!!
Me identifico. Muito!
E eu digitei frescura no Google pra ver no que que dava hahahahaha
Nojento!!!

Ana Paula de Almeida on 11 de julho de 2010 21:22 disse...

Obrigada pelo carinho gente! É Kelem, me assustei muito com o resultado disso...kkk

Postar um comentário

 

napaulices Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos