26 de agosto de 2010

40 motivos para não se casar com uma redatora

by Ana Paula de Almeida às 13:25 5 comentários Links para esta postagem
Bom, como vocês sabem, eu sou estudante de jornalismo e trabalho na redação de um jornal. Não existe uma coisa que eu ame mais do que escrever. E eu leio muito também, livros, revistas, jornais, panfletos de supermercados e muitos blogs. E nos blogs, principalmente, adoro ler listinhas engraçadas, do tipo "10 mentiras que os homens contam", "20 verdades sobre o casamento" e afins. Encontrei em dois blogs, um é o da Ariane Fonseca, que tem uma lista sobre Os 40 motivos para se casar com um jornalista e já adorei né? Agora o outro bem engraçado também é do site Espaço com Design que tem uma lista das 50 razões para não se casar com um designer gráfico , e, enquanto lia os comentários vi outra lista, a dos 40 motivos para não se casar com uma redatora, e me identifiquei com 39!! Vou postar a lista aqui, e no final conto qual dos motivos com que eu não me identifico ok?




40 motivos para não casar com redatoras.
1. Elas convivem com designers e gente pouco normal.
2. Usam post its pra lembrar você de tudo.
3. Não gostam de ser interrompidas.
4. Têm o defeito incorrigível de corrigir as pessoas.
5. Vão revisar o bilhetinho romântico e cada linha de e-mail que você mandar. E a frase do MSN.
6. Têm mania de dar nomes e apelidos pras coisas.
7. Têm mania de fazer layout no Word.
8. Têm mania de renomear arquivos, principalmente fotos.
9. Repudiam diminutivos relacionados ao seu trabalho: textinho, frasezinha, simplesinho, curtinho, rapidinho.
10. Fazem trocadilhos de coisas idiotas.
11. Elas vão te odiar se você sair divulgando que a sua “mina escreve mó bem”.
12. Vão te bater se você ler um texto que não está pronto.
13. Elas não costumam dar presente com cartãozinho.
14. São cinéfilas. Gostam de Almodóvar e de nostalgia.
15. Sofrem de insônia criativa.
16. Sofrem de mau humor conceitual.
17. Sofrem de depressão pré-texto.
18. Tendem ao uso de maconha, analgésicos e pastilhas suggar free.
19. Tendem à bissexualidade e bipolaridade.
20. Tendem a ter tendinite.
21. Tendem ao tédio.
22. Elas sempre vão falar de você em posts do blog e do Twitter, subjetivamente, lógico.
23. Sonham mais com seu primeiro livro, do que com o primeiro filho. E vão se inspirar em você pras duas coisas.
24. Sonham em dar nome de escritor ou personagem famoso ao filho. Se for menina? Vão cogitar Cecília ou Clarice.
25. Elas têm memória de elefante. E se lembram exatamente daquela frase que você usou.
26. Numa D.R. vão dizer “Eu, vírgula”. “Não existe nada de errado entre ‘eu’ e você. E sim, entre ‘mim’ e você (…) Vamos por um ponto final nesse assunto?”
27. No auge da sua explanação, vão pedir “resume?”.
28. Vão fazer leitura dinâmica quando você pedir pra lerem até o final.
29. Vão ler as entrelinhas quando pedir para darem uma olhadinha rápida.
30. Quando você pedir opinião sobre um texto qualquer, vão dizer: “paroxítonas com ditongos abertos éi e oi não tem acento, tá?”
31. Escrevem poemas em guardanapos.
32. Colecionam canetas coloridas. Roubam canetas coloridas.
33. Vivem entre aspas. Têm uma citação pra cada coisa, afinal “Tudo vale a pena quando a alma não é pequena”.
34. O intervalo é uma das programações favoritas delas. Não interrompa, ok?
35. Amam All Star, Melissa e sapatinho de boneca. E se vestir de menino.
36. Amam estampas de bolinhas e de listrinhas. Não importa a ocasião.
37. Amam pin-ups.
38. São metafóricas, eufóricas e folclóricas.
39. São complexas, convexas e desconexas.
40. E por fim, elas podem até sair da redação. Mas a redação nunca vai sair delas.
Val Pacheco


P.S.: Não tenho tendência a bissexualidade, muito pelo contrário (rs), mas confesso que sou bem bipolar...hahah

15 de agosto de 2010

Que vergonha!

by Ana Paula de Almeida às 17:29 0 comentários Links para esta postagem

Quem nunca passou por uma situação extremamente constrangedora que atire a primeira pedra. Alguns passam por mais, outros por menos, e eu com certeza integro o time dos que passam por mais. Sou desastrada e distraída, então não precisa nem explicar porque sou uma que constantemente paga mico e faz quem está comigo passar também. Mas enfim, com o tempo e maturidade aprendi a dar risada de mim, e ultimamente tenho feito isso com uma frequência absurda.
Bom, a verdade é que tem algumas situações que são comuns a qualquer pessoa, e quem nunca passou por elas pode ter certeza que um dia vai passar. Duvido que você nunca tenha ido em direção a algum ponto de ônibus e então de repente vê que ele tá saindo e você começa a correr feito um maratonista e chega até a bater no veículo e gritar pro motorista parar, mas o mesmo simplesmente ignora a sua presença e arranca. Você fica com aquela cara de idiota, dá aquela risada sem graça e diz para as outras pessoas que estão no ponto "eu nem queria pegar esse ônibus mesmo". Isso também se aplica a elevadores, e pode ser mais constrangedor do que no caso do ônibus porque a probabilidade de você encontrar os engraçadinhos que não te esperaram é bem maior.
Tem aquelas clássicas das mulheres, principalmente àquelas que gostam de andar de salto, que com certeza já passaram por aquela situação de estar andando maravilhosamente bem quando do nada o salto vira e ela quase cai. O segredo é nunca olhar pra trás, porque com certeza tem algum engraçadinho quase mijando de rir da sua derrapada. Eu tenho esse sério problema, com ou sem salto sempre caio. Em escadas, subidas, descidas, lugares planos, estrada de terra, to sempre caindo, e sempre tem alguém pra ver.
E quando a sua roupa do nada rasga ou suja? Tudo bem, se for num lugar onde ninguém consegue ver ou onde dá perfeitamente pra esconder, ainda não se torna um mico, mas geralmente ela rasga e suja onde não deve. E é de lá mesmo que eu estou falando, e é fácil identificar quando alguém passou por isso, é sempre aquele cara ou garota que fica sentado/a a balada inteira, ou tá sempre com a mão na parte de trás.
E quando você está assim no tédio, parado em algum lugar, bocejando igual a um urso prestes a começar a hibernar, e avista a pessoa mais linda do mundo. A primeira ação é tentar afogar o bocejo só que é tarde demais, você começa a tossir igual a um cachorro tuberculoso, e a chance dele ou dela olhar pra você se extinguiu naquele exato momento.
As mais clássicas são aquelas em que a sua boca grande te coloca nas maiores furadas, do tipo perguntar pra uma mulher se ela está grávida quando ela só está com uns quilinhos a mais. O mesmo acontece quando você elogia o bebê de alguém dizendo "ele é lindo", e os pais do pequeno dizem: "é linda, é uma menina". A sua boca pode te colocar numa enrascada também quando você tem de segurar o riso e não consegue, tipo quando alguém tropeça no meio da rua e essas coisas.
Falar o que não se deve é realmente uma coisa que pode colocar qualquer pessoa em maus lencóis, principalmente quando você está falando mal de alguém sem saber que seu receptor é parente da pessoa. Ou pior, a pessoa pode estar no reservado do banheiro ou atrás de você.
Agora, às vezes não é a sua boca que te coloca em situações trágicas, pode ser a boca da sua mãe mesmo. Que mãe nunca contou as coisas mais nojentas e bizarras que você já fez na vida pros seus amigos e/ou namorado(a)? Mães são mestres em colocar qualquer filho na pior situação, daquelas capazes de realmente exterminar a vida social. Bom, eu por exemplo tenho a mania de cantar em frente ao espelho de vez em quando (é, eu sei, isso é ridículo), e minha mãe já me pegou fazendo isso várias vezes, só que nunca me contou, preferiu espalhar isso no meio de uma reunião de amigas. O que eu fiz? Disse, "ah gente, quem nunca fez isso". E todas responderam, "eu não." Bom, depois dessa, nem preciso dizer que queria ser um avestruz e enfiar minha cabeça num buraco.
Porém, não somente sua mãe, pai, irmão, tio e derivados podem te deixam com vergonha perante a sociedade, pode ser seu professor também. Acredite, professores são perversos quando querem. Nunca invente de beijar alguém desprovido de beleza nas dependências da escola porque no outro dia a torcida inteira do Flamengo vai estar sabendo, principalmente se o professor não for muito com a sua cara.
Essas situações são bem clássicas, do tipo que a sua mãe e a sua avó já passaram, mas com o advento da internet os micos ficaram mais perigosos e mais fáceis de serem propagados pro mundo inteiro. Por exemplo, quantas vezes você já mandou mensagem errada no msn pra alguém? Às vezes pode ser fácil corrigir, mas pode acontecer de de repente a mensagem de "eu te amo" que ia pra sua melhor amiga ir pro seu ex-namorado. Das duas uma, ou ele vai te dizer que não existe mais nada entre os dois ou ele vai acreditar e vai encher a sua paciência até se convencer de que a mensagem não era pra ele.
Mas, uma coisa é unânime, nada te faz pagar micos maiores do que o alcóol. É bom moderar às vezes porque se no outro dia você não se lembrar de nada, com certeza alguém vai se lembrar. E esse alguém pode ter gravado algum vídeo seu e no outro dia ele vai estar com mais de mil "views" no Youtube.
A única verdade nisso tudo que eu escrevi aqui é que se você nunca passou por nada disso, não fique triste, um dia vai você passar. E nesse dia você vai me contar e eu vou rir da sua cara. É, eu vou rir, porque se fosse comigo eu sei que riria. HAHA

Ana Paula de Almeida
 

napaulices Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos