13 de julho de 2010

It's Rock'in Roll for me, baby!

by Ana Paula de Almeida às 14:14

Hoje, dia 13 de julho, para quem não sabe, é o Dia Mundial do Rock. E eu não poderia deixar de oferecer meu tributo a este que, para mim, é muito mais que um ritmo musical, é um estilo de vida. Minha relação com o rock, posso dizer sem hesitar, é quase espiritual. Digo isso porque meu pai deixou esse mundo quando eu ainda era um bebê, e a maior herança que ele podia me deixar sem dúvidas, foi o rock. Foi graças ao meu pai que hoje Beatles, Gun's, The Doors, Led Zeppelin, Kiss, Queen, Rolling Stones e tantos outros clássicos fazem parte da minha vida.
Tenho muito poucas lembranças do meu pai, mas ouvindo rock sinto a presença dele, bem perto de mim. The Beatles é a minha banda preferida, e poucos anos atrás vim saber pela minha mãe que era a banda preferida dele também. Só eu sei a emoção que senti quando soube disso, pois até aquele momento não entendia o porquê do fascínio e da paz que eu sentia quando ouvia o quarteto de Liverpool.
Outra banda que teve grande influência ao longo da minha vida foi o Gun's Roses. Lembro que o primeiro contato que tive com as músicas deles foi por causa de um fogão azul que a minha mãe tinha! É, você me pergunta, o que um fogão tem a ver com a banda do tio Axl? É que esse lendário fogão azul (que eu odiava a cor, por sinal) tinha um adesivo do Gun's na parte frontal, que eu meu pai havia colado meses antes de morrer. Eu adorava aquele adesivo, porque ele tinha uns desenhos de rosas por toda a extensão, e o nome da banda no centro, só que eu ainda não sabia ler, é claro. Então perguntei pra minha mãe o que era aquilo, e ela me disse que era meu pai quem tinha colado aquele adesivo e que nesse dia ela brigou muito com ele por causa disso, e então ela me falou que Gun's era uma banda que ele gostava muito. E ainda me contou que quando ela estava grávida ele sempre ouvia Gun's e Beatles pra eu ir me familiarizando, então por aí dá pra entender meu instinto rocker de ser.
Não há como falar de rock pra mim sem citar essa relação tão íntima que eu tenho com ele. Diferentemente de tantas pessoas que seguem o ritmo no estilo de se vestir, eu não preciso de roupas nem de cabelos de rockeiros pra mostrar pro mundo que os solos de guitarra pulsam dentro de mim. A relação que eu tenho com o rock é muito mais de fora pra dentro que de dentro pra fora. Eu ouço e sinto, e não preciso de mais nada. Mas admiro as pessoas que fazem do rock um estilo de vida literalmente, e utilizam-se das músicas como forma de protesto e revolução. Só que, o rock pra mim é espiritual no sentido de que é por ele que eu me encontro, minhas raízes estão "fincadas" no solo do rock. E é por isso que esse dia é tão importante pra mim, o Dia Mundial do Rock é como se fosse o meu dia.
E nada melhor para celebrar esse dia do que consumir muito rock! É claro que a partir dos Beatles eu fui conhecendo outras bandas e formando meu próprio perfil musical. Hoje em dia ouço muito Indie Rock, que na minha opinião, é a melhor vertente do rock. Consumo sem moderação muito Coldplay, Oasis, Keane, Strokes, Artict Monkeys, Kings Of Leon, The Killers, Franz Ferdinand, Kaiser Chiefs, White Stripes, U2,Titãs, Capital Inicial, Legião Urbana e muitas outras bandas que definem por meio de letra e melodia tudo o que eu sou e acredito. E para os não-leigos no assunto, é vísivel a minha preferência por bandas da terra dos meus amados mestres do rock, que são os ingleses. Acredito que lá está o celeiro das melhores bandas, e é por isso que ir para o Reino Unido está entre os meus planos para o futuro.
Só tenho nesse dia a agradecer aos mestres que inventaram e que mantem vivo até hoje esse estilo que faz parte de mim. Meu agradecimento especial à Elvis Presley, John Lennon, Paul McCartney, Ringo Starr, George Harisson, Jerry Lee Lewis, Jhonny Cash, Bob Dylan, David Lee Roth, Gene Simmons, Eric Clapton, Jimy Hendrix, Mick Jagger, Jim Morrisson, Raul Seixas, Rita Lee, Janis Joplin, Ozzy Osbourne, Freddy Mercury, Axl Rose, Chris Martin, Liam e Noel Gallagher, Cabel Followill, Brandon Flowers, Julian Casablancas, Rita Lee, Josh Homme, Alex Turner, Bono Vox, Rodrigo Amarante, Marcelo Camelo, Renato Russo, Cazuza... enfim, perdoem-me se me esqueci de algum, é que são tantos gênios que fazem parte do movimento rock, que eu peço a ajuda de vocês para não cometer o pecado de esquecer de citar qualquer um que seja.
E que viva o ROCK!

Ana Paula de Almeida

2 comentários:

Kelem on 14 de julho de 2010 08:11 disse...

Que belezinha sua historia!
*-*

E sim, os ingleses sao os melhores, nao so no Rock, mas em blues; melhores escritores, atores :D

God save the Queen!
hahahaha

beijo amiga

Douglas John Paul Gallagher on 14 de julho de 2010 14:04 disse...

Ana Paula Rockingirl!!! Sinto muito pelo seu pai, a historia de como a presença dele e a música sempre fizeram parte da sua essência é linda e isso porque a historia ainda terá capitulos importantes como Londres, Liverpool e Stawberry Fields.

Parabéns pelo post e pelo maravilhoso gosto musical!!!

Postar um comentário

 

napaulices Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos