20 de dezembro de 2011

Sociedade da chacota

by Ana Paula de Almeida às 09:52 2 comentários Links para esta postagem


Somos acostumados a rir do outro, desde pequenos. Rimos daquele amiguinho diferente da escola, das cassetadas do Faustão, do tombo da senhora no meio da rua, da menina mal vestida da faculdade. Sempre rindo e tirando sarro dos outros. É do ser humano, e é hipócrita quem disser que nunca riu de nada disso. Só que é errado, nós sabemos que é. Se fossemos nós na situação com certeza não gostaríamos. Só que com o advento das redes sociais, em que você consegue se relacionar com um número muito maior de pessoas ao mesmo tempo, e a exposição sem escalas nos perfis do Facebook e Twitter, rir do outro se tornou rotina. Existem até blogs e sites que se dedicam a isso. Passam o dia vasculhando o que você fez de errado pra "tcharãn", te expor e fazer milhares de pessoas rirem de você. É como aquela vez que no meio do pátio do colégio aquele coleguinha te empurrou e você caiu, e todo mundo fez uma roda pra tirar sarro. Só que já está ficando doentio e insuportável. Não, eu nunca fui vítima disso, não que eu saiba, e não contribuo diretamente com isso. Não sou hipócrita de dizer que nunca ri de alguma coisa dessas que já postaram, já ri sim. Sou ser humana, dou minha cara a tapa e assumo meus erros. Só que, chega uma hora que você analisa esse tipo de atitude e pensa: "Quanto eu sou melhor que os outros pra poder tirar sarro de alguma coisa? O que rir da desgraça alheia me fez melhor?". E a resposta é nada. Nada. Eu não sou melhor que ninguém pra poder apontar os erros dos outros. Na condição de ser humana eu erro, e erro muito, o tempo todo. E rir do outro não me faz melhor que ninguém, muito pelo contrário.
Uma coisa que muito me irrita é essa mania das pessoas dizerem que tudo "orkutizou", de uma forma pejorativa e altamente preconceituosa. Por um acaso, porque você tem Facebook e Twitter cheio dos "fãs", você é melhor que a pessoa que manda Gif Animado no Orkut? Vocês só querem uma desculpa pra diminuir os outros, mas quando você faz isso, você é que se mostra primitivo, preconceituoso e baixo. Eu também já disse que tal coisa "Orkutizou". Digo e repito, já fiz e assumo meu erro. Já disse sem pensar e analisar o que estava dizendo. Só que eu sou madura o bastante pra analisar minha postura e assumir quando é preciso mudar.
As pessoas buscam erros nos outros pra camuflar os seus. Pra sempre se mostrar superior. Eu sei muito bem a sociedade é estratificada em classes sociais, e nossa cultura é de sempre diminuir quem tem menos dinheiro. Só que isso tem que parar. Não é porque seu cartão de crédito é ilimitado que você pode sair por aí dizendo o que é certo e errado. É preciso ter caráter. Rir do outro é só mais um artifício pra que você mostre que você é melhor, só que só demonstra o quanto você é vazio e não tem alegrias próprias, por isso precisa achar graça no erro do outro. É preciso ter EMPATIA, se colocar no lugar do outro pra saber como você se sentiria se estivesse nessa situação. É preciso ter AMOR, amor na vida, no próximo, seja lá quem ele for. Que se dane se ele é pobre, gay, mulher, homem, criança, negro, branco, amarelo. Não importa. E é preciso botar a cara e pedir desculpas quando se erra. Isso não te diminui. Apontar o erro dos outros, sim. Quem é você pra julgar alguém? O Sr. Perfeição? "Ah mas as pessoas se expõem na internet porque querem, vamos rir delas." Se elas se expõem, o problema é delas! Preocupe-se mais com o seu caráter do que com o das outras pessoas. Se dane se a pessoa anda com roupas curtas, se ela ouve Luan Santana, se ela raspa a cabeça, que se dane. Você já parou pra olhar pra sua vida?
Existe uma frase muito famosa de Jean Molière que diz, "Deveríamos olhar demoradamente para nós próprios antes de pensarmos em julgar os outros."
É só isso que eu queria que vocês pensassem antes de querer apontar o dedo pro outro pra diminuir, tirar sarro ou querer se achar melhor. Você é um ser humano como qualquer outro, cheio de defeitos e qualidades, suscetível a erros como qualquer um. Ter uma casa melhor, um carro melhor, um celular melhor, um computador melhor, uma roupa melhor não te faz uma pessoa melhor. Por fora você pode até ter uma ótima aparência, mas por dentro você continua sendo vazio. E não adianta você se mostrar lindo para os outros, se você mesmo tem nojo de você. Riam das suas próprias vidas antes de rirem da dos outros. E sejam mais maduros, por favor.

Ana Paula de Almeida

7 de dezembro de 2011

Poeminha do amor diário

by Ana Paula de Almeida às 09:41 0 comentários Links para esta postagem


Me perguntaram se eu amo
Se eu amo?
Amo sim, amo o sol tímido que se esconde nos dias nublados
Amo o cheiro da grama molhada depois da chuva
O leite em pó que gruda no céu da boca
O vinil riscado dos Beatles
As paredes rabiscadas com juras de amor
A caneca com frases de incentivo e corações coloridos
Os cabelos ao vento, o pé de chinelo e as maças do rosto sem blush
Os fones de ouvido que não funcionam
A coleção de canetas promocionais que adoram escrever versos de amor
Amo o dia que começa cedo e a noite que termina tarde
Amo você me dizendo o quanto eu sou chata e o quanto você se odeia por achar isso uma graça
Amo o riso baixinho na madrugada quando eu te agarro você me diz: 'menina, você não tem jeito'!
Amo você tentando esconder que se importa comigo.
Amo, amo e amo.
Simples e amável assim

Ana Paula de Almeida

 

napaulices Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos