18 de janeiro de 2013

Dieta

by Ana Paula de Almeida às 11:41 1 comentários

Chega um dia na vida que você começa a avaliar o que tem te feito mal e começa a cortar do dia-a-dia. Carboidratos, roupas velhas e pessoas. Sim, pessoas. Tem gente que engorda mais que bolo de chocolate. Deixa a alma cheia de gordura trans e aumenta a chance de você, sei lá, ter infarto de tanto desgosto. Pessoas podem ser mais nocivas que batata frita no café da manhã. Bem mais.
É por isso que eu resolvi cortar tudo que incha e retém coisas ruins. Gente que incha seu ego pra depois te deixar pra baixo. Gente que retém tudo quanto é energia ruim pra despejar em cima de você. Gente que corrói suas artérias como colesterol. Gente que é feito doce, na hora te dá aquela sensação deliciosa, de prazer, mas por dentro tá destruindo seu organismo e deixando dependente de insulina pro resto da vida.
Eu não quero do meu lado o que não me faz sorrir. Ou o que me faz sorrir na hora mas depois me dá indigestão. Prefiro pessoas tipo "comidas saudáveis", na hora podem parecer ruins por te fazerem enxergar a realidade mas te fazem um bem tão grande lá na frente.
Tô balanceando minha dieta pra priorizar o que me faz bem e, consequentemente, feliz. Pessoas que no começo podem parecer duras como começo de dieta, mas que você sabe que tudo que fazem é pra que você fique feliz e saudável. Pessoas saudáveis.
Não quero mais roupa velha no meu guarda-roupa, roupas que fizeram sentido lá atrás mas que hoje em dia eu simplesmente não sei pra quê guardo. É preciso desapegar, é a lei natural, e quando uma coisa não te serve mais, é preciso se desfazer dela. Emagrecer o corpo e a alma pra experimentar novas roupas e sensações. Se abrir pro estranho, pro novo, se deixar surpreender.
Pode parecer difícil no começo, mas eu prefiro viver por muitos anos com o que me faz bem do que continuar me deixando corroer pelo que não agrega mais em nada. Limpar o guarda-roupa, mudar a dieta e transformar a rota. É isso que eu quero.

15 de janeiro de 2013

Ser sozinho não é ser triste

by Ana Paula de Almeida às 12:25 1 comentários

Quem é solteiro sabe que a maioria dos sozinhos adora fazer um drama do tipo "queria tanto encontrar alguém", "quero namorar", etc, e eu me incluo nessa. É porque ser sozinho pode ser doloroso, se você fizer disso uma coisa ruim.
A verdade é que depois que a gente termina um relacionamento complicado vem aquela fase do "fechado pra balanço", que é quando a ferida está aberta, você não quer saber de ninguém, e no fundo ainda tem aquela esperança de que volte com o ex. Depois dessa fase, vem aquela do desespero, tipo abstinência, você já esqueceu a pessoa (ou não) e quer a todo custo fazer a fila andar. Aí é aquela fase que você tá em todas as baladas, em todas as festas, qualquer pessoa é um alvo potencial e você já sai pensando em encontrar o novo amor da sua vida. O problema é que você nunca encontra, volta pra casa frustado e  começa a se remoer pensando no que tá acontecendo de errado. Isso se agrava se o seu ex já tiver seguido a vida, e se torna uma questão de honra fazer o mesmo. Essa é a pior fase de todo o solteiro, é a fase mais frustrante, desgastante e quando todos os seus amigos começam a namorar. É melhor fazer um retiro no Nepal do que passar por isso.
Mas essa fase passa, ô se passa! E aí vem a melhor parte de ser solteiro, e uma das melhores fases da sua vida: quando você começa a se amar e a achar a sua companhia a melhor do mundo! Não tem sensação melhor que essa. Você pode estar no sábado a noite de pijama tomando vinho e vendo TV ou pode estar no camarote da melhor balada da cidade, não importa, a sua companhia é a melhor de todas. Todo mundo te olha, te ~paquera~ e você não tem aquela obrigação de provar pra todo mundo que você partiu pra outra e sair beijando qualquer um. Mas se você quiser beijar também, você beija, e faz isso pelo seu prazer. E aí você passa a não sentir inveja dos casais felizes andando pela rua porque você pode ir pra onde quiser, com quem quiser, a hora que quiser, sem dar satisfação pra ninguém. Os casais aparentemente felizes começam a ter inveja de você.
É nessa hora, quando você mais se ama, que você aprende a enxergar os sinais e as pessoas incríveis que a vida coloca na sua frente. Quando você tá nas fases anteriores - fechada pra balanço e escancarando as portas pra que qualquer um entre - você não consegue ver um palmo na sua frente. E quando vê, não consegue valorizar as pessoas legais primeiro porque você não quer ficar ninguém e segundo porque você quer ficar com todo mundo.
Quando você tá de cabelo novo, fazendo academia, aprendendo uma língua nova e planejando as suas primeiras férias sozinha que a surpresa bate a sua porta. E é tão bom, porque você aprendeu tanto a se valorizar depois da tempestade das fases anteriores, que a calmaria de se amar é a melhor recompensa. Quando você se ama, é muito mais fácil fazer com que os outros se amem, e que você ame os outros também. É um ciclo, e que você tem que passar pelas fases difíceis até aprender que não importa onde você esteja, a sua companhia é a melhor do mundo. Você aprende a se tornar o tipo de pessoa que você gostaria de ter do lado.
Por isso que não dá pra "pular de fases", todo mundo precisa de um tempo assim sozinho pra aprender que a felicidade não está no outro, mas está em você. É é se fazendo feliz que você consegue fazer o outro feliz.

2 de janeiro de 2013

2013: o ano do recomeço

by Ana Paula de Almeida às 11:54 1 comentários

Já se passaram as festas de fim de ano. Estamos oficialmente em 2013, contrariando o que as "Profecias Maias" disseram até hoje. E olha, eu agradeço muito a Deus que em 2013 já não vai ter mais aquela chatice de uma folha que cai da árvore ser indício do fim do mundo.
Todo ano é um recomeço, em que nós devemos avaliar tudo o que foi certo no ano que passou e o que foi errado também. E sobretudo, aprender com os erros, afinal, é pra isso que os erros servem. É tempo de fazer aquela faxina na vida pessoal, profissional e material, jogar fora o que não presta mais e desenterrar coisas boas que estavam esquecidas. É tempo de começar de novo, um dia de cada vez.
E pra mim, mais do que nunca, é um recomeço. Há alguns dias eu ainda era uma estudante, e olha só, estou formada. Às vezes não dá pra acreditar, mas é um fato. Praticamente 16 anos da minha vida eu dediquei aos estudos, e agora, eu encerrei um ciclo. O que não significa que eu vou parar, um novo ciclo se inicia agora. Como vai ser? Eu não sei, mas prometi a mim mesma que vou fazer diferente.
Ano passado, principalmente, eu mal tive tempo "pra mim". Estive tão envolvida com uma imensidão de projetos de vida, coisas muito boas por sinal, mas tive muito pouco tempo pra pensar na Ana Paula, de verdade. E esse ano vai um dos "recomeços" vai ser nesse sentido.
Faz muito tempo que não faço nada por mim. Não que meus projetos de vida não sejam pra mim, mas o que quero dizer é que faz tempo que eu não cuido de mim. E quem vai cuidar da gente se não nós mesmos? Saúde física, espiritual e emocional, sinto que deixei isso de lado nos últimos tempos, e isso não faz bem, ah não faz mesmo. Basta perceber que nos meus momentos de folga eu só penso em dormir de tanto cansaço.
Você também se sente assim? Pode ser que você tenha cometido o mesmo erro que eu! Então, vamos, nós temos um ano todo pela frente, dá tempo de fazer diferente!
Penso que as metas e resoluções pra um ano só valem se forem cumpridas, pra valer. Não adianta prometer que vai emagrecer em 2013 se continuar com os mesmos hábitos, não é? E esse ano eu decidi que vou fazer diferente, vou me amar mais do que nunca, e vou fazer as coisas que mais tive vontade até hoje.
Já decidi que vou enfim cortar meu cabelo, sem adiar mais. Faz três anos que eu me prometo isso, mas na hora, sempre deixo pra lá. Outra decisão vai ser de entrar na academia, outro "projeto" que eu tenho há mais de quatro anos, mas por incompatibilidade de tempo x dinheiro, eu sempre adiei. Agora eu tenho tempo, dinheiro e disposição, então, pra quê esperar? Não penso na academia pra emagrecer não, mas pra ser saudável e ter mais disposição. Além do que, é um investimento mais do que necessário em mim mesma, pro meu prazer e minha satisfação. Vou também tirar habilitação, afinal, tô com 21 anos nas costas! Devia ter tirado há três anos, mas de novo a matemática tempo e dinheiro não me deixou ser forte e persistir nisso.
Já fiz a lista dos livros que tenho que ler, pois ano passado eu fiquei tão envolvida no meu TCC que não tive coragem de me deixar levar por uma leitura realmente prazerosa. Já fiz a lista das séries que tenho que assistir, além dos filmes. Outra resolução que já está sendo executada é minha viagem de férias. Só saio de férias em janeiro de 2014, por isso, tenho tempo pra planejar uma viagem pra um lugar distante e que sempre tive vontade de conhecer. Acho que a gente tem que se mimar um pouco, e afinal, eu mereço!
Prometi a mim  mesma que não tenho tempo a perder e esse ano não vou deixar o desânimo me impedir de fazer nada. Minhas metas são objetivas, e todas possíveis. Em contrapartida, a promessa que eu sempre fiz de "encontrar um amor", esse ano eu deixei de lado. Não porque não queira, mas é que o amor não é analítico e estratégico, e quando se torna, fica chato! Então, esse é o tipo de coisa que eu vou deixar que o destino se encarregue :)
E você, quais são suas metas? Quando você pretende colocá-las em prática? Já é dia 2 de janeiro, não deixe pra mais tarde! Prometo que durante o ano vou cumprir minhas metas e postá-las aqui, pra deixar de incentivo pra vocês e pra mim mesma. E quero dia 31 de dezembro de 2013 ler esse post e ver que eu consegui tudo isso.
E ah, Feliz 2013!

Ana Paula

 

napaulices Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos